Reaproximação da Filha

Criado: Quarta, 05 Fevereiro 2020 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Na noite de domingo, Clara quis brincar comigo, ficou num deita-levanta do meu colo e botando meu braço direito – o mais descoordenado, me dando medo de machucá-la – em cima dela. Deitou-se nos meus braços e, de joelhos, passei a levanta-la e abaixa-la com ela rindo muito, o que fez Silvia temer que eu a derrubasse. Por fim, Clara sentou no meu colo e me fez aconchega-la toda com meus braços e cabeça – não me lembro de ela já ter querido tanto contato corporal comigo. Desde então, ela tem me beijado espontaneamente – antes eu tinha de pedir beijos e frequentemente não era atendido – e acariciado bastante, além de estar brincando comigo todos os dias.

Desde que Clara se afastou de mim, tínhamos a expectativa – na qual Silvia insistia quando eu ficava triste – de que se reaproximasse em algum momento, mas tal esperança foi enfraquecendo com a passagem do tempo. Particularmente, em janeiro a vi abraçando duas vizinhas enquanto rejeitava totalmente ser acariciada por mim, o que me causou uma profunda tristeza. A mudança foi repentina, acho que o motivo é ela ter entrado no complexo de Electra e não sei se vai durar – neste blog, já escrevi três vezes que ela tinha se reaproximado de mim e, no fim, foi só momentaneamente. Seja como for, estou alegre, feliz.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault