Criança Feliiz

Criado: Sábado, 24 Fevereiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

A professora de Clara disse que ela é a mais alegre da turma e a que mais curte as atividades da escola. É bom saber que estamos criando uma criança feliz

0
0
0
s2sdefault

Deixar de Embalar a Filha

Criado: Segunda, 19 Fevereiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Na tarde da segunda-feira de carnaval, Silvia pensou em irmos a um shopping center e eu, em testar uma coleira infantil em Clara, tanto porque esta já não quer ficar muito no meu colo quando me locomovo na cadeira de rodas quanto para andar e ter sono à noite. Acabamos indo a outro lugar e, à noite, Clara demorou uma hora e meia para dormir, embora não dá para ter certeza que foi pela falta de movimento. Ter a embalado durante esse tempo me causou distensões nas costas e virilha, o que me fez perceber que há semanas venho ficando com dores musculares sempre que a embalo por mais de 20 minutos e que está chegando o momento de parar de fazê-lo, pelo peso de Clara (no mínimo 12kg). Para mim, é uma decisão difícil independente das dificuldades da transição, pois é na hora de dormir que Clara mais faz questão da minha presença. Talvez esta continue adormecendo comigo de algum outro modo, já que às vezes vem se aconchegar em mim quando sente sono e não a colocam no carrinho.

0
0
0
s2sdefault

Pegando no Pé

Criado: Sexta, 09 Fevereiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Às vezes, figurativa e literalmente Clara pega no meu pé para tocar música no tablet.

0
0
0
s2sdefault

Mão de Homem

Criado: Segunda, 05 Fevereiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

De tanto embalar Clara, pela primeira vez na vida tenho uma “mão (esquerda) de homem”, cuja palma é encaliçada e tem pele grossa.

0
0
0
s2sdefault

Músicas para a Filha

Criado: Segunda, 05 Fevereiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Quando as filhas de Silvia ficam com o pai, em geral Clara gruda nela, dificultando muito fazer as tarefas domésticas. Um dos meus poucos recursos para entreter Clara e facilitar o trabalho de Silvia é tocar músicas infantis no meu tablet, embora muitas vezes isso não funcione.

0
0
0
s2sdefault

Após a Queda

Criado: Quarta, 31 Janeiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Após a queda que dei de cadeira de rodas, Clara não gosta mais de me ver deitado no chão e sempre fica querendo me levantar, às vezes com algum nervosismo.

0
0
0
s2sdefault

Qual Segurança?

Criado: Segunda, 29 Janeiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Cedo ou tarde, todas as minhas amigas e namoradas acabavam dizendo que sentiam-se seguras comigo apesar da minha fragilidade física, um mistério que nunca consegui desvendar. Mais compreensível é que transmita segurança a Clara na ausência de sua mãe, afinal cuido dela, a protejo, sou seu pai. Porém, logo no primeiro dia em que notei que Clara veio para meu colo para se sentir segura me perguntei qual seria a segurança que poderia dar a ela se Silvia viesse faltar de vez, por algum acidente ou mal súbito, com todas minhas limitações físicas, baixa renda, pais que já estão com mais de 80 anos e que ainda precisam cuidar da minha irmã que tem deficiência física e cognitiva, etc. Fiquei apavorado e, desde então, sempre que começo o mesmo raciocínio procuro me acalmar pensando que Silvia é forte, tem ótima saúde e que tal situação é improvável.

0
0
0
s2sdefault

Imitando o Pai

Criado: Quinta, 18 Janeiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Há três dias, Clara pegou minha prancha de comunicação, veio para perto de mim e começou a mexer nesta com os pés. Não sei se sua intenção era conversar comigo, mas no mínimo estava me imitando.

0
0
0
s2sdefault

Uma Queda

Criado: Sábado, 13 Janeiro 2018 Escrito por Ronaldo Correia Junior

No último domingo, após estacionar o carro na garagem Silvia resolveu que Clara iria andando até o elevador em vez de comigo na cadeira de rodas. Quando a porta se abriu, por um momento Silvia ficou indecisa entre evitar Clara de entrar no elevador e puxar a cadeira, achei que podia conduzir esta com os pés para subir um aclive que existe no local, mas, ao invés disso, esta virou para trás. A estrutura da cadeira protegeu minhas costas e tive o reflexo de enrijecer o pescoço para a cabeça não bater no chão, de modo que nada sofri. Mas ao me ver caído no chão, Clara entrou em desespero, apontando as mãos alternativamente para Silvia e para mim pedindo que a mãe me acudisse logo. Dois dias depois, me deitei no chão e Clara ficou um pouco aflita querendo me levantar. Diante da ligação de Clara com Silvia, tendo a pensar que tenho pouca importância para ela, mas essa queda mostrou que tal suposição está errada.

0
0
0
s2sdefault

Consciência das Limitações do Pai

Criado: Domingo, 31 Dezembro 2017 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Clara parece estar começando a ter consciência das minhas limitações e necessidades: ontem à tarde íamos sair, Silvia trocou minha roupa, saiu do quarto e Clara me deu a mão para andar comigo, gesto que repetiu na sala; e hoje, ela trouxe minha prancha de comunicação para perto de mim e ficou a apontando com o pé, como se quisesse conversar comigo.

0
0
0
s2sdefault

Mais Artigos...