Distanciamento da Filha

Criado: Quarta, 18 Outubro 2017 Escrito por Ronaldo Correia Junior

Às vezes, me emociono só observando Clara fazer as coisas mais triviais, mas sua ligação comigo nunca foi forte porque não posso a alimentar, banhar, vestir e, pelo perigo de machucá-la, fazer muitas carícias e brincadeiras. Após Clara passar a ficar oito horas no berçário, tal ligação se enfraqueceu muito – ela praticamente deixou de me acariciar, falar “papai”, etc –, pois quase não há mais tempo para ficarmos juntos. De fato, recentemente Clara passou uma semana com amidalite, tive de ficar bastante tempo cuidando dela, inclusive para Silvia manter um ritmo mínimo de trabalho e não correr risco de ter uma estafa – eu é que tive um mal-estar depois de três noites quase sem dormir –, e várias vezes ela espontaneamente veio para meu colo, mas depois que curou-se voltou a não querer saber muito de mim. Fico triste com esta situação e o que me anima é lembrar que, quando vim morar em Curitiba, as filhas de Silvia tinham 4 e 6 anos e bastou dar carinho para estas gostarem demais de mim – espero que o distanciamento de Clara se reverta do mesmo modo.

Comentários   

0 #1 Carla Ribeiro 18-10-2017 16:20
Procure estabelecer alguma atividade diaria para executar com ela. Acompanho seu blog/site e sei que anteriormente, quem a colocava para dormir era você. Não sei se ainda o faz, mas, em caso negativo, tente retomar esta tarefa ou simplesmente fique ao lado dela para que ela perceba sua presença constante acompanhando os passos dela enquanto está em casa. :)
Citar
0 #2 Ronaldo Correia Junior 18-10-2017 16:31
Ainda sou quem a bota para dormir
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault